Você está visualizando atualmente Alternativa à desoneração da folha sai até o fim desta semana

Alternativa à desoneração da folha sai até o fim desta semana

Gostou? Compartilhe:

Sob intensa pressão do Congresso Nacional e do mercado, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou hoje que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deu sinal verde à equipe econômica para explorar alternativas à desoneração da folha de pagamento. Haddad indicou que o plano pode ser oficialmente revelado ainda esta semana.

“Apresentamos a alternativa à desoneração da folha ao presidente, que aprovou nossa abordagem. Ainda não discutimos o assunto com os líderes, mas nosso compromisso inicial foi claro: uma vez aprovada a reforma tributária, resolveremos este problema”, afirmou o ministro.

O líder do governo no Congresso Nacional, Randolfe Rodrigues (Sem partido-AP), no entanto, declarou que o Executivo federal deve apresentar essas alternativas até o fim desta semana. “Até o final da semana, a intenção é apresentar uma proposta alternativa.”

Em 24 de novembro, Lula vetou um texto que buscava prorrogar por mais quatro anos o benefício fiscal para 17 setores produtivos que têm sido responsáveis pela criação de empregos no país nos últimos 10 anos.

Os parlamentares buscam derrubar o veto presidencial, embora essa medida seja impopular no mercado. Se o veto for derrubado, o governo federal perderá mais de R$ 9 bilhões, o que afastará Haddad da meta de eliminar o déficit fiscal no próximo ano.

Esta manhã, o ministro da Fazenda se reuniu com Lula, ministros da articulação política e líderes do governo no Senado e na Câmara, no Palácio do Planalto, para discutir questões fiscais em trâmite no Parlamento, incluindo propostas para aumentar a receita da União em 2024.

Entre as prioridades estão a regulamentação das apostas eletrônicas e esportivas (bets), a tributação das subvenções de ICMS e a revogação de benefícios tributários sobre a remuneração paga por empresas a acionistas, como o Juro sobre Capital Próprio (JCP).

Além disso, a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias da União está prevista. A expectativa é que todas essas matérias sejam aprovadas antes do recesso parlamentar, programado para iniciar em 23 de dezembro, tendo assim um impacto direto no Orçamento de 2024.

Gostou da matéria? Não deixe acompanhar nosso blog diariamente. Caso tenha dúvidas ou queira tratar desse ou outros assuntos jurídicos, entre em contato com a nossa equipe.


Gostou? Compartilhe: