Você está visualizando atualmente Qual a importância do Risco-país?

Qual a importância do Risco-país?

Gostou? Compartilhe:

O Risco-País é um indicador do grau de instabilidade econômica em que o país se encontra. Dessa maneira, representa o perigo que o investidor estrangeiro corre caso queira aportar recursos financeiros em algum país.

Fatores de risco para os investidores seriam aqueles que estão atados a possibilidade de falência de uma nação. Vários são os fatores analisados para se chegar ao indicador, sendo os mais importantes os econômicos, principalmente a capacidade produtiva e a situação fiscal do país.

O Risco-País pode ser medido usando várias tecnologias como:

  • EMBI+

O Emerging Markets Bonde Index Plus – EMBI+ (Índice de Títulos da Dívida de Mercados Emergentes), é calculado pelo J.P. Morgan Chase, grande banco americano, ele é o um dos mais comuns indicadores utilizados para analisar o Risco-País por investidor que tenha interesse em realocar recursos para países emergentes.

A metodologia adotada para fazer o cálculo desse indicador é a comparação dos títulos das dívidas do país analisando com os títulos do tesouro americano, ou seja, comparar a relação de risco-retorno que o país emergente possui ao se comparar com os EUA.

Sua unidade de medida é feita por pontos-base, sendo que cada 100 pontos-base equivalem a 1% de juros. Se um país tem um EMBI+ de 500 pontos-base, isso significa que os juros dos títulos públicos desse país pagam 5% a mais do que os títulos emitidos pelos americanos.

  • CDS

CDS significa Credit Default Swap (Permuta de Inadimplência de Crédito), é um seguro para o investidor contra possíveis calotes da dívida pública. Portanto, como qualquer operação de seguro, quanto maior o risco mais caro é o CDS.

A negociação dos seguros acaba indicando o quão arriscado é determinado país. O CDS é calculado com a mesma lógica do EMBI+, sendo que cada 100 pontos-base são 1% de juros. Se no mercado de seguros existir maior demanda por proteção contra determinado país, significa que há mais pessoas preocupadas em não serem pagas por esse país, então o mercado financeiro interpreta que o risco do país é mais alto.

  • Rating Soberano

O último é a classificação do risco de crédito de um país através de uma nota. Agências especializadas em rating atribuem uma nota de acordo com a expectativa em que determinada dívida seja honrada. As agências se baseiam na quantidade de reservas internacionais, solidez econômica e estabilidade política.

As notas que as agências de classificação de crédito dão para os países vão de AAA, menor risco possível, até a D, quando o país corre risco de moratória.

Os principais impactos em relação ao Risco-País são a flexibilidade fiscal, que é bastante impactada por esse indicador, pois quanto maior for o risco, mais o governo terá que oferecer um retorno para que os investidores permaneçam. Outro impacto é o financiamento via setor privado, que acaba sendo impactado pelo fato das instituições que estarem dentro desse país acabam correndo riscos sistêmicos. Com a queda no Risco-País, o setor privado teria recursos mais abundantes e com mais qualidade, fazendo com que o mercado financeiro nacional fosse mais ativo. Por último, um dos setores da economia que mais dependem dos massivos investimentos para crescer é a infraestrutura. Os governos sempre buscam investir no setor, porém como os recursos são limitados, essa área da economia depene do capital estrangeiro para expandir.

Caso necessite de alguma ajuda para resolver problemas na Receita Federal ou ainda possua alguma dúvida, acione nossa equipe pelo WhatsApp, estamos prontos para lhe atender.

Cadastre-se no nosso blog e esteja sempre atualizado com nossas publicações!


Gostou? Compartilhe: