Você está visualizando atualmente Simples Nacional, é bom para você ou para o Fisco?

Simples Nacional, é bom para você ou para o Fisco?

Gostou? Compartilhe:

Pense bem antes de optar pelo SIMPLES NACIONAL.

Simples Nacional, na verdade, só é vantajoso para o Fisco. A tributação que ocorre antes mesmo da geração de “lucros” é confiscatória.

Caso o simples nacional fosse bom para contribuintes, não haveria fechamentos de empresas nesta modalidade em número tão exagerado como ocorre.

A inadimplência de pagamento dentro do simples nacional seria bem baixa se o sistema fosse benéfico para contribuintes. Entretanto, a inadimplência é altíssima.

Antes de optar pelo SIMPLES nacional faça diversas contas. Não precipite. A opinião do contador é importante, mas só a simplificação do procedimento contábil não é argumento para a opção. Se o contador cobrar, com justiça, preço mais alto para uma escritura mais elaborada aceite, fica mais barato.

O Governo Federal nos últimos anos – não era diferente antes – cria armadilhas para contribuintes. Pensa equivocadamente que tirando alguns da economia informal contribui para o conjunto empreendedor. Ledo engano. A contribuição do governo com os empreendedores deve vir da diminuição os percentuais tributários e não enganar contribuinte com provável simplificação de procedimentos.

Simples é complicado para o contribuinte e muito “simples” para o Governo.

Nesse espaço eu gostaria de explicar mais ao meu leitor ouvinte sobre detalhes no que afirmo ser o SIMPLES, um engodo. Todavia, para isso precisaria entrar na questão contábil, o que posso fazer somente quando tiver mais acesso à realidade de cada contribuinte.

Porém, sem dúvida posso afirmar NÃO SEJA SIMPLES OU OPTAR PELO SIMPLES. Ao contrário, seja maduro, consciente e tenha bastante “orgulho” do seu bolso e da sua estabilidade jurídica.

Enfim, cuidado com o simples. Aproveitando, seja simples no cotidiano de sua vida. Veja a vida com mais alegria e de forma mais livre. Aproveite para ver as cores, o tempo e tudo que cerca você com olhar mais singelo.

Leia também: E-commerce e a sua relação com a tributação.


Gostou? Compartilhe:

Deixe um comentário